O perigo da predileção na família

22/03/2017 00:00


“Eu gosto mais dele, e daí?”. É isso o que muitas pessoas dizem em relação aos filhos e os avós dizem em relação aos seus netos. Isso se chama preferência! Num primeiro momento parece ser uma coisa inocente e corriqueira dentro das famílias, mas é algo que precisa ser evitado, porque é muito destrutivo.

 

TITULO IMAGEM
O perigo da predileção na família

 

Uma amiga nossa nos fez a seguinte revelação: “Sei que sempre fui a preferida de meu pai e agora ele não esconde que dentre todos os netos, o meu filho Jonas é o preferido dele.”

Geralmente aquele que tem preferência por um filho irá ter preferência pelo neto, que é filho do preferido. Uma senhora idosa, mostrava com muito orgulho as fotos de seus sete netos. Crianças lindas que enchiam de emoção aquela avó, e os seus olhos brilhavam ao falar deles. Uma das pessoas presentes fez uma pergunta, aparentemente normal: “Qual deles é especial e qual deles é o seu queridinho?” A resposta foi sábia, curta e muito clara: “Todos eles são especiais e todos são queridinhos!”

Na verdade essa história de queridinho do papai e queridinho da mamãe já era um problema registrado na Palavra de Deus, em Gênesis 25.28: “Isaque amava a Esaú, porque se saboreava de sua caça; Rebeca, porém, amava a Jacó.” Esse procedimento dos pais trouxe separação e ódio mortal entre os irmãos.

Mais tarde o próprio Jacó, parece que não aprendeu a lição, porque fez a mesma coisa em relação ao seu filho José: “Vendo, pois, seus irmãos que o pai o amava mais que a todos os outros filhos, odiaram-no e já não podiam falar pacificamente.” Os irmãos de José queriam matá-lo e pela providência de Deus ele foi poupado. Mais uma vez, o ódio e a morte foram o resultado da predileção dos pais. Por que acontece isso no meio da família? Por que os pais e avós se inclinam em relação a um em detrimento de outros?

Um é mais pacato e gosta de ficar em casa e o outro ama as atividades ao ar livre. Um gosta de estudar e o outro não é muito chegado ao estudo. Um é mais obediente e o outro mais respondão. Um gosta de esporte e o outro prefere um bom livro. Um é parecido com o pai e o outro é fã do outro time. Essas são algumas razões que nos levam a ter preferência por um em detrimento do outro.

Porém, as consequências mais danosas desse favoritismo acontecem na alma e no coração. São traumas que raramente desaparecem e acabam sendo lembrados para sempre. É uma ferida aberta que insiste em não cicatrizar!

Durante um curso que ministramos para seis casais, saiu esse assunto e perguntamos quantos deles tinham sido “deixados de lado” alguma vez. Para nossa surpresa, quatro casais tiveram problema de predileção em seus lares. Parecia que uma nuvem negra se abateu sobre esses casais enquanto emocionados, lembraram muitos fatos. Todos nós fomos criados por Deus e somos especiais aos olhos do Senhor.

Lembre-se que Ele não descrimina ninguém e que nunca faz acepção de pessoas. Longe de cada um de nós deve estar essa prática perversa e porque não dizer diabólica. O recado daquela vovó é válido: “Todos são especiais e todos são queridinhos!”

Neco e Priscila Simões são pastores do Ministério Impacto e membros da APEL - Academia Paulista Evangélica de Letras | neco@necoepriscilasimoes.com

 



Outras Notícias


Ministérios


Notícias


DEVOCIONAIS EM VÍDEOS