Senado aprova impeachment e Dilma perde mandato

31/08/2016 13:00


Dilma Rousseff não é mais presidente do Brasil. Nesta quarta-feira histórica (31), o plenário do Senado aprovou o impeachment da petista e encerrou o ciclo de poder do PT, que perdurou por 13 anos. Este era o quarto mandato consecutivo do partido – dois de Luiz Inácio Lula da Silva (de 2003 a 2010) e dois de Dilma (de 2011 a 2016).

A decisão ocorreu quase nove meses após o início da tramitação do processo na Câmara dos Deputados e três meses e meio depois do afastamento provisório de Dilma.

Por 61 votos a 20, o Senado condenou a petista por crime de responsabilidade pelas chamadas "pedaladas fiscais", que são o atraso no repasse de recursos do Plano Safra a bancos públicos, e pela edição de decretos de créditos suplementares sem aval do Congresso. Foram 7 votos a mais do que o mínimo necessário – 54 das 81 cadeiras do Senado.

No entanto, uma segunda votação, manteve o direito de Dilma de ocupar cargos públicos, por 42 votos a 36. Com a decisão do Senado, Michel Temer (PMDB) assume definitivamente a Presidência da República para cumprir o mandato até o final de 2018.

Essa é a segunda vez na história que um processo de impeachment resulta na queda do chefe do Executivo. Sob suspeita de corrupção, Fernando Collor de Mello (1990-1992) renunciou horas antes da votação do seu processo, mas o Senado decidiu à época concluí-la, o que culminou na condenação por crime de responsabilidade.

 

Com informações da Folha.

 



Outras Notícias


Ministérios


Notícias


DEVOCIONAIS EM VÍDEOS