Os Testemunhos do Senhor

09/11/2016


A vida é cheia de surpresas e imprevistos e nem tudo acontece da forma como esperamos. Contudo, podemos decidir se manteremos o nosso foco naquilo que deu certo ou no que deu errado. 

Certa vez, em meio às suas lutas, o profeta Jeremias decidiu: “Eu vou manter na minha memória aquilo que me dá esperança (Lm 3.21). Ele fez a escolha certa, porque aquilo que mantemos em nossas mentes afeta diretamente a qualidade da vida que vivemos, inclusive a nossa fé. Nossa memória pode nos tornar corajosos ou covardes, dependendo daquilo que mantivermos dentro dela.

O apóstolo Paulo disse aos filipenses: “Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas” (Fp 4.8). Sendo assim, mantenha em sua memória somente aquilo que é verdadeiro, especialmente, Deus e a Sua Palavra, ou seja, guarde o testemunho do Senhor em seu coração. Vamos chamar de testemunho o registro escrito ou falado de quem Deus é e de tudo quanto Ele fez na história. 

O salmista chamou esse testemunho de herança. Ele disse: “Os teus testemunhos são a minha herança permanente; são a alegria do meu coração” (Sl 119:111). 

Em outras palavras, Davi afirmou que o conhecimento de Deus e de Suas obras representavam para ele uma riqueza permanente e que, mantida em seu coração, produzia alegria. O mesmo acontecerá conosco se aplicarmos essas verdades em nossas vidas. Davi disse mais: “Grandes são as obras do Senhor; nelas meditam todos os que as apreciam” (Sl 111.2). 

Então, medite nas obras que o Senhor realizou em seu favor, pense na obra da cruz, na morte e ressurreição de Jesus, e na grande salvação que Ele ofereceu a você. Traga a memória tudo o que você experimentou desde a sua conversão até aqui e louve ao Senhor por tudo o Ele fez por você.

Davi também disse: “Que as palavras da minha boca e a meditação do meu coração sejam agradáveis a ti, Senhor, minha Rocha e meu Resgatador!” (Sl 19.14). Algumas pessoas não entendem a importância de guardarem o testemunho do Senhor, de meditarem e de proclamarem a Sua grandeza, poder e amor.

Ao invés disso, elas mantêm em suas mentes apenas o que é ruim, o que não deu certo, o que não aconteceu. Esquecem-se de quem é Deus e do que Ele fez, e focam apenas as suas infelicidades.

Não conseguem se alegrar com o que tem, o que aconteceu de bom. Alimentam-se da frustração, da inferioridade, dos sentimentos de fracasso e derrota. 

Ao invés de confessarem a fé, falam de dúvidas e incredulidade, se prendem a realidade natural e não conseguem ver além das crises e circunstâncias. Eles desconhecem ou ignoram a importância de uma mente renovada.

Lembre-se: aquilo que prende a sua mente (pensamentos ou afetos), enche o seu coração e, inevitavelmente, a sua boca confessará. A boca fala do que o coração está cheio (Mt 12.34b ). Por isso, Deus disse a Josué: “Não deixe de falar as palavras deste Livro da Lei [testemunho], de meditar nelas de dia e de noite [quem Eu sou e o que fiz], para que você cumpra fielmente tudo o que nele está escrito [creia e obedeça]. Só então os seus caminhos prosperarão e você será bem-sucedido” (Js 1.8 – destaques do autor). 

Sua mente precisa estar em acordo com o que foi escrito e dito pelo Senhor. Quem medita e fala do Senhor e de Suas obras, mantém a consciência constante de Quem Ele é e do que pode realizar em favor dos que creem.

O apóstolo João escreveu acerca dos fiéis que não desistiram do combate, apesar da tentativa do inimigo de destruí-los: “Eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do testemunho que deram...” (Ap 12.11). Sendo assim, declare: “Maravilhosos são os teus testemunhos; por isso, a minha alma os guarda” (Sl 119.129).

 

Por Bispo César Santos – Presidente e fundador da Comunidade Evangélica Filadélfia.




Outras Notícias


Ministérios


Notícias


DEVOCIONAIS EM VÍDEOS